Obituário – 23 de novembro de 2020 – Quotidiano do Grande ABC

[ad_1]

JULIO ABE WAKAHARA

(São Paulo, SP, 15-1-1941 – 21-11-2020)

Fotógrafo, arquiteto, museólogo, o professor Julio Abe Wakahara faleceu na madrugada de sábado, aos 79 anos, agredido pelo Covid 19. Ele foi o iniciador do projeto “Museu na Rua”, uma forma de levar as instituições voltadas à construção da memória diretamente à população, com exposições em estações de ônibus e de trens, em praças públicas, nas ruas propriamente ditas. Nascente projeto o trouxe várias vezes ao Grande ABC, a partir dos anos 1970.

Paranapiacaba era uma das paixões do professor Julio Abe. A partir da vila ferroviária, desenvolveu exposição sobre a Trilha do Peaberu, popularizando a risca histórica que interligava os Oceanos Atlântico e Pacífico, cortando a região, seguindo por São Paulo e Paraná e vencendo a América Latina.

Julio Abe Wakahara era graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1968) e mestrado pela mesma instituição (1978), onde foi professor de informação visual e museologia. Presidiu o Recomendação Regional de Museologia (IV Região do Estado de São Paulo). Também foi diretor da Separação de Museus da Prefeitura de São Paulo e do Meio Cultural São Paulo.

Em 2019, Julio Abe esteve em Paranapiacaba. Deu lição sobre o nevoeiro lugar porquê patrimônio procedente e/ou porquê patrimônio paisagístico, defendendo o seu tombamento. Na oportunidade gravou entrevista para o DGABC TV, sintetizando 40 anos de história em que estuda a vila ferroviária do Cocuruto da Serra e seus entornos.

Afirmou: 

1 - Não tem moeda que consiga restaurar o funicular; as pontes de ferro estão enferrujadas, não tem jeito de restabelecer; já os túneis estão perfeitos; o sistema de drenagem na serra foi refeito por volta de 1920 e está perfeito. As estações (patamares), as rodas-gigantes estão lá.

2 - Cá na serra é o maior empreendimento tecnológico industrial inglês no século XIX. Isso ninguém tem no mundo inteiro. Uma construção feita em cinco, seis anos, o que é incrível. O Metrô, em São Paulo, cada trecho leva dez, 15 anos.

3 - Os ingleses fizeram os projetos e ofereceram as máquinas, mas os construtores de tudo isso na Serra foram os alemães, portugueses, espanhóis, italianos, todos contratados diretamente na Europa, porque o Brasil só tinha escravos. Pouquíssimos escravos trabalharam cá na Serra.

Na entrevista, o professor Julio Abe lembrou que os ingleses ensinaram os basileiros a jogar futebol e que esta história passa por Paranapiacaba, de quem campo de futebol permanece e é hoje o mais idoso do Brasil. “Precisamos preservar o campo”, disse o professor.

Na entrevista, quase um legado, Julio Abe lembrou a geração da Percentagem Pró-Paranapiacaba, que reuniu o pessoal da vila, a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Santo André e outros segmentos, que levaram ao tombamento de Paranapiacaba e a sua preservação porquê está atualmente. Lições de um professor que há 40 anos respira Paranapiacaba e que agora partiu.

SANTO ANDRÉ

Geraldo Della Rosa, 90. Oriundo de Campinas (São Paulo). Residia na Vila Curuçá, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Manoel João da Silva, 85. Originário de Jeremoabo (Bahia). Residia na Vila Humaitá, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Tereza Rodrigues Bastos, 84. Oriundo de Santa Rosa (Rio Grande do Sul). Residia na Vila Palmares, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Cleonice Ferreira de Souza Sobrinho, 83. Oriundo de Serra Caiada (Rio Grande do Setentrião). Residia no bairro Americanópolis, em São Paulo, Capital. Dia 21. Cemitério Campo Grande, Província de Santo Amaro, em São Paulo, Capital.

Isaías Nogueira, 79. Procedente de Santo André. Residia no Jardim Santo André, em Santo André. Marceneiro. Dia 21. Memorial Jardim Santo André.

Eine Fernandes Garcia, 78. Oriundo de Itapuí (São Paulo). Residia no bairro Campestre, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Antonio Pinilla Blasco, 72. Oriundo da Espanha. Residia na Vila Ribeiro de Barros, em São Paulo, Capital. Dia 21. Crematório de Vila Alpina.

José Adriano Fernandes da Silva, 77. Originário de Portugal. Residia no Parque Novo Oratório, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Maria Antunes, 71. Procedente de Mamonas (Minas Gerais). Residia no Jardim Alzira Franco, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Silvio Luiz Siqueira, 56. Originário de Santo André. Residia no Condomínio Maracanã, em Santo André. Dia 21. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Maria Aparecida Reis Ribeiro, 93. Procedente de Jaú (São Paulo). Residia em Utinga, Santo André. Dia 22. Jardim da Colina.

SÃO BERNARDO

Maria Aparecida dos Santos Martin, 75. Originário de São Luís do Paraitinga (São Paulo). Pensionista. Resida no Meio de São Bernardo. Dia 22, em Santo André. Jardim da Colina.

SÃO CAETANO

Hermelinda Célia Zanella Garbarino, 88. Oriundo de Laranjal Paulista. Residia no bairro Olímpico, em São Caetano. Pensionista. Dia 21. Cemitério Municipal de Laranjal Paulista.

DIADEMA

Páscoa Cândida de Souza, 97. Oriundo de Cravinhos (São Paulo). Residia no Meio de Diadema. Dia 20. Cemitério Municipal.

Raimundo Ferreira de Susa, 81. Procedente de Caririaçu (Ceará). Residia no bairro Mansão Grande, em Diadema. Dia 20. Vale da Silêncio.

Maria Marlene Barbosa da Silva, 76. Procedente de Araruna (Paraíba). Residia no bairro Piraporinha, em Diadema. Dia 20, em Mauá. Cemitério Municipal.

Elias Guilherme Neto, 73. Procedente de Inferior Guandu (Espírito Santo). Residia no bairro Taboão, em Diadema. Dia 21, em Santo André. Memorial Jardim Santo André.

Márcia Hetsue Serikyaku Resende, 60. Procedente de São Paulo, Capital. Residia no Meio de Diadema. Dia 20. Cemitério de Vila Novidade Cascata, em São Paulo, Capital.

Sandra Rodrigues dos Santos, 48. Procedente de São Paulo, Capital. Residia no bairro Eldorado. Dia 20. Cemitério Municipal.

Fábio Alves Rodrigues, 45. Oriundo de Diadema. Residia no bairro Serraria, em Diadema. Dia 20. Cemitério Municipal.

MAUÁ

José Gomes de Oliveira, 73. Originário de Angelim (Pernambuco). Residia no Jardim Zaíra, em Mauá. Dia 20. Cemitério Santa Lídia.

Maria Ferreira de Amorim, 73. Originário de Chã de Alegria (Pernambuco). Residia no Jardim das Camélias, em São Paulo, Capital. Dia 20, em Mauá. Cemitério do Carmo, em São Paulo, Capital.

Arlindo Cordeiro da Silva, 67. Oriundo de São Paulo, Capital. Residia na Vila Emílio, em Mauá. Dia 20. Vale dos Pinheirais.

Ivone Dantas Barbosa Leite, 62. Oriundo de Lupionópolis (Paraná). Residia na Vila Guarani, em Mauá. Dia 20, em Mauá. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá, em Santo André.

Josefa Antonia de Oliveira Alves, 46. Oriundo de Canhotinho (Pernambuco). Residia no Jardim São Francisco, em Mauá. Dia 20. Cemitério Santa Lídia.

Maria José de Araujo, 68. Oriundo de Altinho (Pernambuco). Residia na Vila Novidade Mauá, em Mauá. Dia 21. Memorial Planalto, em São Bernardo

Creusa Alves de Oliveira Abreu, 64. Originário de Santa Luzia (Maranhão). Residia na Vila Bocaina, em Mauá. Dia 21. Cemitério Santa Lídia.

Vilma Odete da Silva Cruz, 64. Oriundo de São Paulo, Capital. Residia no Jardim Mauá, em Mauá. Dia 21. Cemitério Santa Lídia.

Ivan Durães dos Santos, 63. Oriundo de São Francisco (Minas Gerais). Residia no Jardim Zaíra, em Mauá. Dia 21. Cemitério Santa Lídia.

Valdeir de Jesus, 62. Procedente de Iretama (Paraná). Residia no Jardim Oratório, em Mauá. Dia 21. Cemitério Santa Lídia.

Márcia Santos de Souza Silva, 48. Procedente de São Vicente (São Paulo). Residia no Jardim Mauá. Dia 21. Cemitério Santa Lídia.

Lucas da Silva Pecegueiro, 23. Originário de Mauá. Residia no Parque das Américas, em Mauá. Dia 21. Cemitério Santa Lídia.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia