Nasa anuncia invenção de chuva na secção iluminada da Lua

[ad_1]
Divulgação/Nasa Invenção foi feita com a utilização do maior telescópio voante do mundo, do projeto Sofia Divulgação/Nasa

A Nasa anunciou, nesta segunda-feira (26), uma invenção inédita sobre a presença de chuva na Lua, agora encontrada na secção do planeta que é iluminada pelo sol. A invenção reafirma a premissa de que a chuva não está presente somente nas regiões geladas e escuras da Lua, e que ainda pode estar distribuída por toda a superfície lunar. 

O maior telescópio voante do mundo, que pertence ao Observatório Estratosférico para Astronomia Infravermelha (SOFIA), foi utilizado para realizar a captação. Estima-se que o ativo pode ser entregue através de pequenos impactos de meteoritos, ou pode ser resultado da interação de partículas energéticas expelidas pelo sol. 

O SOFIA detectou moléculas de chuva (H2O) na Cratera Clavius, uma das maiores crateras visíveis da Terreno, localizada no hemisfério sul da Lua. As observações anteriores da superfície lunar detectaram alguma forma de hidrogênio, mas não foram capazes de honrar entre a chuva e seu parente químico próximo, a hidroxila (OH).

Segundo o investigador Jim Bridenstine, gestor da dependência espacial americana, “ainda não é provável saber se a chuva é potável e se ela poderá ser usada porquê um recurso oriundo, porquê acontece com a chuva presente na Terreno”.

Em seu site solene, a dependência afirmou que “a novidade invenção contribui com os nossos esforços de aprender mais sobre o satélite da Terreno e apoia a exploração espacial”. A Nasa também destacou que desenredar mais sobre a Lua fortalece os programas de exploração lunar a longo prazo, porquê o Projeto Artemis. Neste programa de voo espacial tripulado, empresas de voo espacial mercantil setentrião-americanas e parceiros internacionais da escritório têm o objetivo de pousar a primeira mulher e o próximo varão na Lua em 2024.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia