Rotação Mundial de Surf suspende lanço por casos de Covid

[ad_1]
WSL / ED SLOANE Gabriel Medina competindo em 2018 WSL / ED SLOANE

A Liga Mundial de Surfe (WSL) suspendeu a lanço de Pipeline que abriu a novidade temporada do Rotação Mundial, em razão dos casos do novo coronavírus. A lanço disputada no Havaí está paralisada por tempo indeterminado. A organização ainda vai estimar quando a disputa poderá ser retomada.

Por meio das redes sociais, a entidade anunciou que suspendeu a competição "devido ao resultado de testes positivos de covid-19 em membros do estafe da WSL, incluindo o CEO, Erik Logan". A WSL não detalhou quantos casos foram detectados nos exames e nem as outras pessoas infectadas.

O que foi confirmado é que não houve caso de coronavírus entre os surfistas. "A WSL não acredita que qualquer desportista tenha sido infectado e continuará executando todos os protocolos de segurança", diz o enviado.

A WSL adotou novos protocolos em razão da pandemia do coronavírus. "A WSL está, supra de tudo, comprometida em priorizar a segurança dos atletas, funcionários e comunidade, trabalhando de forma próxima e transparente com o Departamento de Saúde do Estado do Havaí, para instituir o caminho a seguir."

"Porquê secção do Projecto de Segurança da Liga, qualquer pessoa que tenha testado positivo ao COVID-19, precisa ser involuntariamente isolada até ser liberada e os protocolos de rastreamento de contato tenham sido totalmente implementados", acrescenta o enviado.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia