Santa Luzia já tem trinta e um casos confirmados da dengue, neste início de ano, e mais de duzentos notificados

[ad_1]
Imagem: Banco de imagens/FreePik

A cidade histórica de Santa Luzia já registou trinta e um casos confirmados da dengue, somente neste início de ano, até a última segunda-feira (15), e mais de duzentos notificados.

De consonância com o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), ao todo, ate o último dia 15/01 foram 11.658 casos notificados e 3.983 casos confirmados de dengue em toda estado, desses três óbitos estão em investigação e nenhum foi confirmado.

Já em relação a Febre Chikungunya, foram 1.726 casos prováveis notificados, 1.223 confirmados e uma morte confirmada. Totalizando 12,9% de casos prováveis da febre e 87,1% da dengue. A Zika ainda não tem nem casos suspeitos e nem confirmados.

Em Santa Luzia, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, entre os dias 07 e 13 de janeiro foram confirmados 20 casos de 212 notificados. E desde o início do ano, teriam sido até o dia 13 somente 25 casos confirmados, ao todo.

Já no boletim da Secretaria de Estado de Saúde, os dados trazem atualizações com a confirmação de trinta e um casos, até o dia 15, ou seja, um aumento de mais 5 casos em exclusivamente dois dias. Um oferecido COMBATE AO MOSQUITO

Na última sexta-feira (12), o prefeito de Santa Luzia, Pastor Sérgio anunciou o projecto de enfrentamento ao Aedes Aegypti, no município, contendo a realização dos mutirões de limpeza, que consistem na coleta de materiais inservíveis nos bairros com maior índice das doenças, visando expelir os focos de proliferação do Aedes aegypti . O cronograma para a realização das ações será divulgado no final do mês de janeiro.

Outras iniciativas no combate às arboviroses também constam no documento e já são realizadas na cidade, muito porquê treinamentos e capacitações constantes sobre as arboviroses; Borrifação em áreas com incidência de casos; Mutirões de limpeza em bairros onde há notificações de casos; Ações para sensibilizar e conscientizar a população; Visitante, seguimento A DOENÇA

De entendimento com o Ministério da Saúde, a Dengue é uma doença febril que tem se mostrado de grande preço em saúde pública nos últimos anos. O vírus dengue (DENV) é um arbovírus transmitido pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti e possui quatro sorotipos diferentes (DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4).

Para se reproduzir, o mosquito se aproveita de chuva paragem em pneus, pedaços de plástico, garrafas e qualquer outra forma de acumulo de chuva, em lotes vagos e residências. Depositando seus ovos, que conseguem sobreviver até um ano no meio envolvente Febre subida Dor no corpo e articulações;
detrás Mal estar;
gosto Dor de cabeça;
ligeiro, sinais de rebate e de seriedade. Normalmente, a primeira revelação da dengue é a febre subida (>38°C), de início alcantilado, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor detrás dos olhos, e manchas vermelhas na pele.

Também podem sobrevir erupções e prurido na pele. Os sinais de rebate são assim chamados por sinalizarem o extravasamento de plasma e/ou hemorragias que podem levar o paciente a choque grave e óbito. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, náuseas, vômitos persistentes e sangramento de mucosas.

Os sinais de rebate Dor abdominal intensa (referida ou à palpação) e contínua;
aquém Sangramento de mucosa;
tempo sátira tem início com o declínio da febre (período de defervescência), entre o 3° e o 7° dia do início de sintomas. Os sinais de rebate, quando presentes, ocorrem nessa tempo. A maioria deles é resultante do aumento da permeabilidade capilar. Essa quesito marca o início da piora clínica do paciente e sua provável evolução para o choque, por extravasamento plasmático. Sem a identificação e o correto manejo nessa tempo, alguns pacientes podem evoluir para as formas graves.

Os casos graves de dengue são caracterizados por sangramento, disfunções de órgãos ou extravasamento de plasma. O choque ocorre quando um volume crítico de plasma é perdido pelo extravasamento. Ocorre habitualmente entre o 4º e o 5º dia – no pausa de 3 a 7 dias de doença –, sendo geralmente precedido por sinais de rebate. Mulheres grávidas, crianças e pessoas mais velhas (supra de 60 anos) têm maiores riscos de desenvolver complicações pela doença. Os riscos aumentam quando o quidam tem alguma doença crônica, porquê COMO SE PREVINIR DA DOENÇA?

Embora existam estudos avançados para vacinas contra a dengue, atualmente nenhuma vacina mostrou-se viável para a prevenção da doença. Portanto, o controle do vetor Aedes aegypti é o principal método para a prevenção e controle para a dengue e outras arboviroses urbanas (porquê chikungunya e Zika), seja pelo manejo integrado de vetores ou pela prevenção pessoal dentro dos domicílios.

Deve-se reduzir a infestação de mosquitos por meio da eliminação de criadouros, sempre que provável, ou manter os reservatórios e qualquer lugar que possa apinhar chuva RECOMENDA-SE AS SEGUINTES MEDIDAS DE PREVENÇÃO INDIVIDUAL:

Proteger as áreas do corpo que o mosquito possa pungir, com o uso de calças e camisas de mangas compridas;
Usar repelentes à base de DEET (N-N-dietilmetatoluamida), IR3535 ou de Icaridina nas partes expostas do corpo. Também pode ser aplicado sobre as roupas. O uso deve seguir as indicações do obreiro em relação à filete etária e à frequência de emprego. Deve ser observada a existência de registro em órgão competente. Repelentes de insetos contendo DEET, IR3535 ou Icaridina são seguros para uso durante a gravidez, quando usados de conformidade com as instruções do operário. Em crianças menores de 2 anos de idade, não é recomendado o uso de repelente sem orientação médica. Para crianças entre 2 e 12 anos, usar concentrações até 10% de DEET, no sumo 3 vezes ao dia; A utilização de mosquiteiros sobre a leito COMO DEVE SER FEITO O TRATAMENTO?

O tratamento para infecção pelo vírus dengue é fundamentado principalmente na reposição volêmica adequada, levando-se em consideração o estadiamento da doença (grupos A, B, C e D) segundo os sinais e sintomas apresentados pelo paciente, assim porquê no reconhecimento precoce dos sinais de rebate Repouso relativo, enquanto insistir Incitação Gestão Não gestão Recomendação ao paciente para que retorne imediatamente ao serviço de saúde, em caso de sinais de rebate Os pacientes que apresentam sinais de rebate ou quadros graves da doença requerem internação para o manejo galeno adequado. Ainda não existe tratamento específico para a doença.

A dengue, na maioria dos casos leves, tem tratamento espontânea depois de 10 dias. É importante permanecer circunspecto aos sinais e sintomas da doença, principalmente aqueles que demonstram agravamento do quadro, e procurar assistência na unidade de saúde mais próxima. O sujeito pode ter dengue até quatro vezes ao longo de sua vida. Isso ocorre porque pode ser infectado com aos quatro diferentes sorotipos do vírus. Uma vez exposto a um determinado sorotipo, em seguida a remissão da doença, o sujeito para a ter isenção para aquele sorotipo específico, ficando ainda susceptível aos demais.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia