Em um mês, casos de covid-19 no Vale do Aço aumentaram 12 vezes – Notícias

[ad_1]

Região labareda atenção da Secretaria de Estado de Saúde, que recomenda que as prefeituras só permitam a orifício de comércios essenciais

Em um mês, o número de casos de pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus na região do Vale do Aço avançou com uma velocidade três vezes maior que a do estado de Minas Gerais porquê um todo. A região, formada por 35 municípios, é a que mais demanda atenção da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde). 

No período entre 3 de maio e 3 de junho, os casos de covid-19 aumentaram 476% no Estado, passando de 2.029 para 11.704. Na região do Vale do Aço esse salto foi de 1.165%. O número de casos registrados na região aumentaram de 47 para 595 no mesmo período. 

Ipatinga e mais 13 cidades pedem socorro por falta de leitos de UTI

O aumento depressa no número de casos na região coligado ao esgotamento dos leitos de UTI e à subida taxa de contágio foram alguns dos fatores que fizeram a SES-MG prever 100 milénio casos da doença para a região até o término do mês.

Caso a projeção seja concretizada, seria um aumento de muro de 15.000%, quase 12 vezes mais do que a região do Vale do Aço experimentou entre maio e junho. Esse incremento exponencial de casos levaria a região a um colapso do sistema de saúde, que já experimenta uma taxa de ocupação de leitos, sobretudo de UTI, próxima a 100%. 

Isolamento

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (3), o director de gabinete da SES-MG, João Pinho, diz que a pasta iniciou uma série de reuniões com os prefeitos para tentar sensibilizar os gestores a adotarem medidas de isolamento. 

— A gente pensa em um projecto de ação específico. Semana passada começamos uma série de reuniões com os prefeitos das macrorregionais. Nas reuniões apresentamos a curva de tendência, o R0 [taxa de contaminação por infectado], sensibilizamos a região para adotar medida de isolamento.

Pinho não quis indicar um motivo para o aumento dos casos na região. Ipatinga, a maior cidade, com muro de 260 milénio habitantes, autorizou a reabertura do negócio no início de abril, 20 dias antes do lançamento do programa Minas Consciente, do Governo de Minas, que estabelece protocolos para a reabertura da economia dependendo da situação de cada região. 

— Acredito que não seja o momento tão indicado para buscar relação de pretexto e consequências. É um debate que exige muita maturidade. Nossa orientação é a adesão ao Minas Consciente. Ele indica a melhor forma, hoje, na nossa visão, para aquela região.

Ainda conforme Pinho, na região do Vale do Aço, o ideal é que todos os municípios estivessem na chamada "Vaga Verdejante", em que somente as atividades essenciais estivessem em funcionamento. 

— Sabemos que alguns municípios permitiram outras atividades.


[ad_2]
Nascente Notícia -> :Fonte Notícia