Canibalismo entre ursos-polares aumenta no Polo Setentrião

[ad_1]

Aparentemente, casos de ursos-polares matando e comendo uns aos outros são cada vez maiores conforme a interferência humana aumenta em seu habitat oriundo. Segundo o perito Ilya Mordvintsev, os casos costumavam ser bastante raros, mas agora são mais frequentes.

O problema está muito relacionado à escassez de comida. Os ursos-polares estavam acostumados a caçar em uma extensão conhecida porquê Golfo de Ob. Atualmente, a dimensão se tornou uma rota para navios que transportam uma substância chamada GNL (gás originário liquefeito).

Ou por outra, os estudos realizados no lugar onde eles habitam faz com que os ursos se sintam incomodados com a presença humana. Essa mudança pode provocar agressividade entre os animais.

(Fonte: AWeith/WikiMedia/Reprodução)
(Manancial: AWeith/WikiMedia/Reprodução)

Outras causas para o canibalismo entre ursos polares

Além da escassez de comida, o perito Vladimir Sokolov aponta as mudanças climáticas porquê outro motivo para o aumento nos casos de canibalismo. A temperatura no Polo Setentrião está cada vez mais subida, o que altera as condições naturais de sobrevivência desses animais.

Além de provocar a transmigração dos ursos-polares para outras regiões mais geladas, o jacente derretimento das geleiras também afeta o humor dos animais e faz com que eles se sintam inseguros em relação às necessidades básicas de sobrevivência.

O que podemos ter certeza no momento é que a atividade humana, seja diretamente no Polo Setentrião ou até mesmo dos hábitos que provocam as mudanças climáticas, está desafiando a forma porquê os animais vivem e aumentando cada vez mais os casos de canibalismo entre eles. Até o momento, não existem estatísticas assertivas sobre a porcentagem de casos registrados.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia