Boletim: mais de 80 casos prováveis de dengue são registrados em cidades do Meio Meio-Oeste

[ad_1]

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) divulgou, nesta quarta-feira (10), o Boletim Epidemiológico do Estado com os casos de dengue, zika e chikungunya. O levantamento, que diz reverência às últimas quatro semanas, apontou 84 casos prováveis de dengue e um caso de zika em 21 cidades do Meio-Oeste de Minas. O registro provável de zika é do município de Santo Antônio do Monte e já constava no boletim anterior.

Ainda segundo o documento emitido pela SES-MG, Divinópolis, Bom Despacho e Pará de Minas tiveram o maior número de casos prováveis de dengue na região. Foram, respectivamente, 21, 8 e 14 casos registrados no período.

O informe também apresentou dados de zika, chikungunya e mortes suspeitas em investigação (veja aquém).

O boletim não aponta dados de mortes confirmadas na região, mas casos em investigação. Com base nisso, o Estado apontou que Bom Despacho, Divinópolis, Carmópolis de Minas, Pará de Minas e Pompéu têm casos de morte suspeitas por dengue em investigação.

São, respectivamente, 2, 4 , 4, 3, 1 mortes suspeitas registrados no período.

O informe considera somente os casos prováveis de dengue na região nas últimas quatro semanas. Conforme ainda o balanço, a incidência da doença é considerada baixa no Meio-Oeste de Minas. (Veja a tábua aquém).

Casos prováveis de dengue na região nas últimas quatro semanas

CidadeCasosIncidência da Doença
Abaeté2Baixa
Bom Despacho8Baixa
Candeias1Baixa
Capitólio1Baixa
Divinópolis21Baixa
Dores do Indaiá1Baixa
Estrela do Indaiá1Baixa
Formiga2Baixa
Igaratinga7Baixa
Iguatama2Baixa
Itaúna1Baixa
Lagoa da Prata4Baixa
Luz1Baixa
Novidade Serrana6Baixa
Oliveira1Baixa
Pains1Baixa
Papagaios1Baixa
Pará de Minas14Baixa
Pimenta2Baixa
Santo Antônio do Monte4Baixa
São Gonçalo do Pará2Baixa

O informe estadual aponta que até o momento, em 2020, Minas Gerais registrou 82.328 casos prováveis (casos notificados exceto os descartados) de dengue.

Desse totalidade, 56.720 casos foram confirmados para a doença. Quanto aos óbitos, foram confirmados 12 mortes pelo perda. Há 57 óbitos em investigação.

De contrato com o boletim desta quinta-feira, nas últimas quatro semanas nenhum município do Meio-Oeste registrou caso provável de febre chikungunya.

De janeiro a novembro deste ano, o Estado registrou 2.550 casos prováveis de chikungunya. Conforme a SES-MG, do totalidade de registros, 1.461 foram confirmados para a doença.

Há três óbitos suspeitos em investigação no Estado.

Em relação aos casos prováveis de zika, o boletim do Estado aponta que nas quatro últimas semanas, Santo Antônio do Monte teve um registro.

Ainda segundo o governo estadual, em 2020, foram registrados 413 casos prováveis de zika. Destes, 135 foram confirmados para a doença.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia