Araxá tem 1ª morte por suspeita de dengue; veja dados do Triângulo, Eminente Triângulo Mineiro

[ad_1]

A cidade de Araxá registrou a primeira morte por suspeita de dengue. Ainda na região, Uberlândia foi a cidade que mais registrou casos prováveis de dengue nas últimas quatro semanas.

As informações são do Boletim Epidemiológico divulgado na última terça-feira (10) pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). O documento também mostra dados sobre a febre chikungunya e a zika (veja mais aquém).

Em Minas Gerais, há 57 mortes em investigação ao todo; desse totalidade, 12 são no Triângulo Mineiro e Cume Paranaíba.

Há 12 óbitos por dengue confirmados em 2020 em todo o estado. As mortes foram registradas nas cidades de Alfenas (1), Belo Horizonte (1), Prado Verdejante (2), Canápolis (1), Carneirinho (1), Guaxupé (1), Itamarandiba (1), Itinga (1), Medina (1), Raposos (1) e Santa Luzia (1).

Mortes por dengue em investigação na região

CidadeQuantidade
Araxá1
Campo Florido1
Ituiutaba1
Iturama1
Patos de Minas1
Sacramento2
Uberaba5
Totalidade12

Impasse com óbito suspeito entre Veríssimo e Uberaba

No Boletim Epidemiológico divulgado pela SES-MG no dia 27 de outubro, constava que Veríssimo havia registrado a primeira morte por suspeita de dengue.

Entretanto, a Secretaria Municipal de Saúde de Veríssimo informou ao que o óbito suspeito não foi reportado pelo Município e que a vítima que faleceu – uma mulher de 59 anos – na verdade, morava e trabalhava em uma herdade na BR-262 em Uberaba. Portanto, segundo a secretaria de Veríssimo, o óbito teria que ser contabilizado em Uberaba, e não em Veríssimo.

O procurou a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Uberaba, responsável por 27 municípios da macrorregião Triângulo do Sul. A SRS, por meio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, informou que o óbito da mulher apresentou resultado negativo para dengue, chikungunya, leptospirose, dentre outros, porém, continua sendo investigado para outras comorbidades.

Ainda segundo o Núcleo de Vigilância Epidemiológica, de trajo, houve um impasse com relação ao endereço da paciente. A enunciação de óbito e fichas de notificação pelo Hospital de Clínicas da Universidade Federalista do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) apontam a quinta onde a paciente residia porquê sendo localizada em Veríssimo, entretanto, o Município de Veríssimo não o reconhece.

Nesta quinta-feira (12), a Secretaria de Saúde de Veríssimo conseguiu diversos documentos que comprovam a localização da quinta porquê sendo de Uberaba.

A documentação foi enviada à Secretaria de Saúde de Uberaba, que disse ao que irá verificar a situação e, se confirmado o indumentária, será mais um óbito em investigação computado para o município. Os documentos também foram remetidos à SES-MG.

Isso significa que o caso fica sendo de Uberaba, mas porquê a morte deu resultado negativo para dengue, será descartado logo que a investigação for finalizada e a Secretaria de Saúde de Uberaba reenviar os documentos com diferença do endereço da mulher que faleceu.

Casos prováveis de dengue

Conforme divulgado pelo boletim, os dados de casos prováveis são referentes às últimas quatro semanas. Veja a situação das principais cidades do Triângulo, Cocuruto Paranaíba e Noroeste de Minas no período:

Dengue nas principais cidades da região nas últimas quatro semanas

CidadeCasos prováveisIncidência
Uberlândia82Baixa
Uberaba67Baixa
Paracatu19Baixa
Patos de Minas7Baixa
Araxá4Baixa
Ituiutaba3Baixa

Em 2020, até o momento, Minas Gerais registrou 82.328 casos prováveis (casos notificados exceto os descartados) de dengue. Desse totalidade, 56.720 foram confirmados para a doença.

No estado, são 2.550 casos prováveis de chikungunya desde o início do ano; destes, 1.461 foram confirmados. Três óbitos estão em investigação.

No Triângulo Mineiro, foram registrados quatro casos prováveis da doença nas últimas quatro semanas, sendo três em Uberaba e um em Conceição das Alagoas.

No ano pretérito, 2.800 casos prováveis de chikungunya foram registrados no estado e houve um óbito pela doença em Patos de Minas.

Com relação à zika, neste ano, foram registrados 413 casos prováveis em Minas; destes, 135 foram confirmados, sendo 11 em gestantes. Não houve registros de casos suspeitos no Triângulo, Basta Paranaíba e Noroeste nas últimas quatro semanas.

Em 2019, foram 699 casos prováveis no estado, sendo 158 em gestantes.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia