Anastasia diz que estratégia não muda se Zema passar Pimentel

[ad_1]

O oponente do segundo vez não importa para o senador e candidato ao governo de Minas, Antonio Anastasia (PSDB). De combinação com o tucano, caso haja uma reviravolta no resultado do primeiro vez e ele enfrente Romeu Zema (Novo) na sequência eleitoral, sua campanha pretende manter a mesma estratégia traçada para a disputa contra o governador e candidato à reeleição Fernando Pimentel (PT).

De concordância com a pesquisa do instituto DataTempo/CP2, divulgada nesta sexta-feira (5), o candidato do partido Novo, que tinha 5,6% das intenções de voto no dia 17 de setembro passou para 11,1%. Já na pesquisa do instituto Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (4), Zema atingiu 15%. Com esse resultado, ele fica empatado no limite da margem de erro com o governador Pimentel, que teve 21% da preferência do eleitorado.

“Se o segundo vez for contra ‘A’ ou contra ‘B’, nós temos que estar preparados para fazer qualquer disputa. Eu acho que as pessoas já compreenderam muito nossas propostas, eu acho que o fator de experiência e conhecimento vai tarar muito. Mas vamos esperar com muito reverência aos adversários, uma decisão que é autônoma e soberana dos eleitores, no próximo domingo. Não muda em zero a estratégia”, afirmou Anastasia em coletiva de prelo, depois executar agenda em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele também visitou Pedro Leopoldo, Vespasiano e Lagoa Santa, todas na mesma região.

Porquê informou a edição desta sexta-feira do jornal O TEMPO, a equipe do candidato do PSDB já dá porquê notório que a disputa ao comando do Estado vai mesmo ser decidida em dois turnos, depois Zema atingir os dois dígitos nos últimos levantamentos de intenções de voto. “É difícil precisar o resultado das eleições. Eu sempre defendo que temos que esperar a apuração, eu sempre ponderei. Nós preparamos de traje a campanha para dois turnos; isso, desde o início eu tenho dito. Se houver um vez só, se nós estivermos adiante, melhor”, avaliou o senador.

Responsabilidade

Questionado sobre o motivo pelo qual quer estar avante do Executivo, mesmo sabendo que terá um trabalho complicado diante da atual situação fiscal do Estado, Anastasia afirmou que encara a tarefa porquê um “obrigação cívico”.

“As pessoas dizem que eu tenho muita coragem, tem uns que falam que eu estou até um pouco insano. Mas é o contrário. É exatamente o duelo, a responsabilidade e o obrigação cívico de colaborar com o governo, mesmo na dificuldade. É a hora importante de colaborar”, explicou o senador.

Ele ainda reforçou a conferência entre sua gestão e a de Pimentel e voltou a ressaltar sua experiência adiante do governo do Estado. “Vamos ver o que os mineiros julgam, a minha experiência, com o conhecimento de gestão que tenho, são 35 anos. Já enfrentei uma crise parecida. Mais fraca, é verdade, em 2003, mas vou agora trabalhar para ser eleito e colocar o Estado em ordem”, declarou Anastasia.

 

Tucano vai priorizar reabertura e obras de hospitais de MG

Durante ato em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, o senador e candidato ao governo de Minas Antonio Anastasia (PSDB) afirmou que pretende reabrir o hospital São João de Deus, que está desativado desde 2015.

“É muito importante a reabertura desse hospital. É um compromisso que nós temos, porque a prefeitura, lamentavelmente, está sem condições de fazê-lo, na medida em que o Estado não está honrando os pagamentos. O hospital já está fechado há alguns anos. Sei das dificuldades financeiras do Estado, mas a questão da saúde é vital, e, com a regularização do fluxo financeiro, nós vamos conseguir, de roupa, que esse hospital tenha condições de funcionar”, afirmou o candidato.

Anastasia estava escoltado do prefeito da cidade, Christiano Xavier (PSD), do deputado federalista e candidato ao Senado na placa Reconstruir Minas Rodrigo Pacheco e de lideranças locais.

O candidato do PSDB declarou que, no momento em que a situação financeira do Estado for regularizada, as obras nos hospitais regionais serão retomadas. Atualmente, Minas Gerais possui oito hospitais regionais com as construções paradas.

“Nós temos um compromisso grande, que é de colocar os hospitais regionais em obra novamente, tão logo haja normalidade nas contas do Estado. Importante também colocar em funcionamento esses hospitais que são estratégicos, porquê o de Santa Luzia. Estou mencionando esse, não só por estar cá, mas, por ser localizado na região metropolitana, o cidadão tem que transpor daqui e ir para Belo Horizonte para ser atendido. Isso acaba onerando muito a rede da capital”, explicou.

 

Escora a presidenciável não está definido pelo PSDB

Questionado sobre qual seria o espeque de seu partido no segundo vez nas eleições presidenciais, o senador e candidato ao governo de Minas Antonio Anastasia (PSDB) afirmou que zero pode ser definido enquanto não houver o resultado da corrida eleitoral.

Anastasia voltou a declarar que defende o nome do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) para a Presidência da República e que vai com ele até o término do primeiro vez das eleição.

“O meu candidato é o Geraldo Alckmin, vamos para o primeiro vez e, se Deus quiser, ele estará no segundo vez. A minha posição é Alckmin até concluirmos as votações, vamos até o término com essa candidatura”, afirmou.

Dificuldades

Fracasso

O senador e candidato ao governo de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), afirmou que não sabe manifestar o motivo pelo qual a campanha presidencial de seu companheiro de partido, Geraldo Alckmin, não decolou. O tucano apareceu nesta sexta-feira com 6,1% das intenções de voto na pesquisa do instituto DataTempo/CP2. Já no Datafolha o tucano atingiu 8% da preferência do eleitorado.

Divulgação

“É difícil explicar, nós temos feito cá em Minas a nossa secção, um esforço imenso para a divulgação do nosso candidato, Geraldo Alckmin”, afirmou o tucano.

Agenda

Neste sábado (6), Anastasia visitante Caeté, na região metropolitana, onde vai participar de jornada com apoiadores e lideranças.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia