Acampamento perdido de Genghis Khan é identificado na Mongólia

[ad_1]

Cientistas e pesquisadores da Universidade Pátrio Australiana, em parceria com exploradores e técnicos da Mongólia, confirmaram que há claros indícios da identificação de um idoso acampamento de inverno de Genghis Khan, líder e fundador do Poderio Mongol (1206 d.C.–1368 d.C.), espargido porquê o segundo maior poderio da história. 

Segundo estudo publicado na Archaeological Research in Asia, o acampamento ordu, localizado no atual sítio arqueológico de Avraga, na Mongólia, e que servia de abrigo para o imperador e suas tropas a término de repousar das operações militares, pode ter se estendido para gerações além do Khan supremo, servindo, também, de abrigo para seu fruto, Ogedei Khan.

(Fonte: Getty Images/Reprodução)(Manadeira: Getty Images/Reprodução)

Através da utilização de técnicas de datação por radiocarbono, artefatos e itens encontrados em explorações anteriores no lugar foram estudados apresentaram resultados conclusivos sobre a presença do tropa mongol no sítio. O processo, logo, serviu porquê base para a implementação de ferramentas de estudo estatística para mostrar, com precisão, em que idade todas as ferramentas estavam em uso.

"O que fizemos foi tirar uma série de dados de radiocarbono da localização. Isso nos possibilitou logo recorrer a uma instrumento estatística para projetar quando o lugar foi primeiro ocupado e depois deserto", afirmou o Dr. Jack N. Fenner, principal responsável da pesquisa, em entrevista à ABC Australia. "A datação coincidiu muito de perto com o período da vida de Genghis Khan." 

Afirmações cautelosas

Muito recebido pela comunidade científica, o sítio arqueológico de Avraga ainda muito sendo estudado e observado com grande cautela, já que ainda não apresentou dados conclusivos sobre a presença de Genghis Khan no território. Apesar de não possuir "elos diretos" entre os artefatos e o líder, os pesquisadores ainda veem com muito otimismo o projeto, sendo "muito provável que tenha sido ocupado pela primeira vez durante sua vida e tenha sido deserto [depois] ou dentro de algumas décadas [após sua morte]." 

(Fonte: Getty Images/Reprodução)(Manancial: Getty Images/Reprodução)

A estudo de isótopos em ossos, dentes e sobras de animais traça uma poderoso perspectiva da manutenção social de tropas mongóis no lugar, sendo um dos quatro grandes acampamentos ordu e o seu suposto "acampamento principal, provavelmente para a primavera e o inverno”, segundo o Dr. Li Narangoa, historiador da Universidade Pátrio Australiana.

Atualmente, as pesquisas no sítio estão buscando quaisquer ligações diretas entre o abrigo de inverno e Genghis Khan, porém já surgem porquê um estudo relevante para compreender os hábitos e estilo de vida de um dos líderes mundiais mais importantes da história.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia