Vídeos de abordagem policial com o uso da força em Patrocínio (MG) se tornaram virais nas redes sociais; comando abre procedimento administrativo

[ad_1]
Continue lendo depois pregão
 

Segundo informações, agentes da Sestran teriam sido desacatados por um cidadão de 31 anos e acionaram a Polícia Militar, onde começou toda confusão.

O indumento aconteceu depois das 22 horas na rossio Santa Luzia e os vídeos mostram um cidadão no soalho, já imobilizado, momento em que um dos militares lhe desfere socos. Não há vídeos do momento anterior que deu início ao indumentária em questão.

O que diz o REDS da PMMG

Disse o REDS solene da PMMG "26/03/2021, 22h39min, durante fiscalização, as equipes Sestran e fiscais de posturas do município depararam com um responsável sem máscara de proteção covid19, em descumprimento às medidas sanitárias, em seguida às 22 horas, na rossio Santa Luzia.

Em aviso, o responsável disse aos servidores: “vão todos vocês se fuder! vocês não são autoridades". De repentino, foi solicitado esteio policial.

Ao chegarem ao lugar, o responsável desacatou os militares, resistindo a prisão, sendo necessário contê-lo e imobilizá-lo.

Durante a meio, o responsável agrediu os militares com empurrões, socos e chutes".

Versão do comando

A nossa reportagem ouviu o comandante do 46 PMMG, Tenente Coronel Salomão Caixeta, que disse iria comentar sobre o trajo narrado no boletim de ocorrência. Segundo o solene: “Em seguida as 22 horas, que é horário do toque de recolher de conformidade com decretos municipal e estadual, em um lanche da Rossio, um cidadão sem máscara, se negou a se recolher e cumprir os agentes da Sestran, que acionaram a PM. Já no lugar os militares teriam sido recebidos com negativas e ofensas do abordado, quando a aconteceu a imobilização e socos foram desferidos para moderar a resistência. Depois de contido o cidadão teria sido levado ao PSM com alguns ferimentos, medicado, levado ao quartel para registros do REDs e posteriormente orientado à Depol onde foi liberado em seguida”.

Sobre apurar um excesso na conduta dos policiais, o comandante Tenente Coronel Caixeta disse que será simples um procedimento administrativo, mas os militares seguem trabalhando, pelo recta de resguardo que é assegurado a qualquer cidadão.

O Secretário de Trânsito, Transporte e Segurança, Danilo Pereira, também narrou que “os agentes foram abordados da mesma forma que foi narrado pelo solene e acionaram a PM, momento em que houve toda a confusão”.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia