Vacinas compradas por prefeitos têm que ser entregues para o SUS, decreta Saúde

[ad_1]

Ministro descartou que municípios e Estados imunizem antes de outros. "Somos um só país e não haverá essa repartição"

O Ministério da Saúde reforçou que municípios e Estados brasileiros têm autonomia para negociar e comprar vacinas contra a Covid-19. No entanto, frisou que todos os imunizantes devem ser entregues para a pasta, que fará a partilha igualitária para todo o território pátrio.
 
"Somos um só país e não haverá essa ramificação entre Setentrião e Sul, Leste e Oeste, ricos e pobres. Essa é a posição do Ministério da Saúde. Essa é a posição do SUS", declarou o ministro Eduardo Pazuello nesta segunda-feira (15). Betim, Belo Horizonte, Santa Luzia e Descrição são alguns dos municípios de Minas Gerais que fizeram acordos para comprar milhões de doses da Sputnik V, imunizante desenvolvido na Rússia.
 
A negociação é legítimo e pode ser concretizada mas, segundo Pazuello, todas as doses devem ser repassadas para o ministério. "Os Estados e municípios podem comprar vacina, sim. Eles podem comprar vacinas e o resultado da compra desses Estados e municípios devem vir para o PNI (Programa Pátrio de Imunização) para ser distribuído em todo o Brasil", frisou o director da pasta.
 
"O PNI é a base da vacinação do povo brasiliano, pelo SUS", declarou. Pazuello destacou, ainda, que “é preciso desvelo com as propostas e decisões paralelas". O ministro citou o consórcio de governadores do Nordeste que formalizou a compra de 37 milhões de doses da Sputnik V.
 
Segundo ele, o contrato fechado com a farmacêutica russa deve ser guiado para o ministério, que fará um segundo contrato para receber, financiar e partilhar as vacinas pelo PNI. "Não podíamos perder a compra de 37 milhões", destacou.
 
Também nesta segunda, o ministro informou que a pasta está custeando pesquisas para justificar se os menores podem receber as doses das vacinas desenvolvidas para uso adulto. "O ministério está financiando estudos para que a gente possa ter a segurança de vacinar menores também", declarou.

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode incumbir. Continue nos apoiando. Assine .


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia