PIS-Pasep 2020-2021 tem reajuste por motivo do novo salário mínimo

[ad_1]

A Medida Provisória (MP) 1.021, publicada em 30 de dezembro de 2020 no Quotidiano Solene da União (DOU), estabeleceu o reajuste salarial para R$ 1.100. Com o aumento de R$ 55, o novo salário mínimo 2021 passou a valer desde 1º de janeiro e modificou também o valor pago em diversos programas sociais.

A MP assinada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), estabelece o aumento de 5,26% do piso pátrio. O valor é superior ao proposto pelo governo federalista durante a divulgação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), em 15 de dezembro de 2020. 

Além do teto mínimo de assalariados, a atualização influencia no valor pago pelo Instituto Pátrio do Seguro Social (INSS) aos aposentados e pensionistas. O abono salarial do PIS/Pasep, seguro-desemprego, Favor de Prestação Continuada (BPC), contribuições dos microempreendedores individuais (MEIs) e indenizações ganhas pelo Juizado Peculiar também sofrem modificações. 

No caso do abono Pis/Pasep, o valor pago dependerá da quantidade de dias trabalhados e deverá respeitar a remuneração máxima de até dois salários mínimos (R$ 2.200). O favor varia entre R$ 91,66 e R$ 1.100 em 2021. Já para fazer jus ao BPC, pago aos deficientes e pessoas com mais de 65 anos que tenham impedimentos a longo prazo, é necessário ter uma renda mensal de até 25% do salário mínimo, o que equivale a R$ 275 neste ano.

Os segurados do INSS que recebem o valor do salário mínimo passam a sacar R$ 1.100 por mês. Mas quem tem recta a quantias supra do piso terá o cômputo feito com base no Índice Pátrio de Preços ao Consumidor (INPC), que ainda não foi divulgado. O Instituto Brasiliano de Geografia e Estatística (IBGE) deve anunciar na próxima terça-feira, 12 de janeiro.

O reajuste do salário mínimo também modifica a quantia mínima paga no seguro-desemprego, sendo calculado de tratado com a média dos três últimos salários recebidos. Além desses, agora os MEIs terão de remunerar R$ 55 mensais por imposto previdenciária ao INSS. 

Também, o novo teto mínimo altera o pagamento de ações ajuizadas. Em Juizados Especiais Cíveis, o teto avança de R$ 41.800 (2019) para R$ 44.000. Já nos Juizados Especiais Federais, o limite das indenizações vai de R$ 62.700 para R$ 66.000.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte da Notícia -> Clique Aqui