Musculação para Obesidade, Porquê deve ser? – Dietas

[ad_1]

A obesidade é um mal dos tempos modernos e atinge diferentes países e culturas. Neste sentido, a musculação para obesidade é uma opção muito importante para a redução destes males.

Mas diferentemente do que acontece em um treino para a hipertrofia, uma treino de musculação para um obeso tem características próprias e técnicas que devem ser respeitadas.

Ciência por traz da musculação para obesidade

Em um estudo muito importante, levado por Kraemer, ainda em 1999, selecionou 35 homens com excesso de peso, que foram separados em grupo controle, grupo que fez somente dieta e um grupo que fez dieta e musculação.

Em seguida o período de 12 semanas, a perda de peso nos três grupos de mediação foi significativa, sendo 68% do grupo controle, 78% do grupo dieta e 97% do grupo que fez musculação e dieta.

Perceba que em graduação, esta diferença de quase 20% significa uma perda bastante acentuada. Ou por outra, o grupo que fez musculação teve um aumento de 2 vezes em relação aos demais, no que se refere as suas taxas de metabolismo basal. E porquê sabemos, quanto maior seu metabolismo basal, maior será a facilidade em perder peso.

Em um outro estudo,  de Sullen (2011), foram avaliadas as respostas ao treinamento resistido, combinado ao treinamento aeróbico. Participaram do estudo 97 homens, divididos em grupo controle, grupo que fez só musculação, grupo que fez só aeróbico e grupo que mesclou as duas atividades.

O grupo que fez musculação e tirocínio aeróbico integrados teve um resultado supra dos demais, seguidos pelo grupo que fez musculação.

Por que a musculação é importante para obesos?

Há alguns pontos muito importantes no combate a obesidade, que podemos encontrar na musculação uma possante aliada. Neste sentido, os principais motivos para um obeso praticar musculação, são estes:

1- Proeminente gasto calórico

Uma pessoa em estado de obesidade, precisa de atividades que proporcionem um proeminente gasto calórico. Neste sentido, a musculação, aplicada da forma correta, com volume e intensidade equalizados da forma correta, trazem um ressaltado gasto calórico.

2- Sem impacto

Outro ponto importante é que se a musculação for feita da forma correta, com exercícios muito selecionados e direcionados para levante objetivo, não haverá impacto pronunciar. No caso de uma pessoa com obesidade, isso é muito importante, finalmente, devido ao excesso de peso, as articulações tendem a suportar.

Para complementar, é generalidade que as pessoas com obesidade desenvolvam também patologias articulares e musculares. Estas também podem ser resolvidas com a musculação, em grande secção dos casos.

3- Volume e intensidade crescentes

Além de trazer um ressaltado gasto calórico, com a adequação da fardo totalidade de trabalho, é provável ter um volume e intensidade crescentes com a musculação. Isso traz uma base de sustentação para que o processo de emagrecimento seja mantido por muito mais tempo.

4- Melhora da elaboração corporal

Porquê haverá redução do percentual de gordura, caso a dieta esteja equilibrada e também um aumento do tônus muscular, será oriundo que a constituição corporal seja melhorada consideravelmente neste processo.

Porquê deve ser o treino de musculação para obesidade?

Basicamente o treino de musculação para obesidade tem um objetivo primordial: aumento do gasto calórico totalidade, de forma segura e contínua.

Por isso, o primeiro ponto em um bom treino de musculação para obesos, é a adequação do volume totalidade semanal.

O indicado são pelo menos de 3 a 4 treinos na semana. Isso fará com que o gasto calórico da atividade vá se acumulando entre os treinos. No volume totalidade de treinamento, isso trará um aumento considerável do gasto calórico totalidade.

Aliás, se a rotina permitir, é interessante que estes treinos sejam muito distribuídos no percurso da semana.

Partindo para as questões mais técnicas, as principais questões a serem consideradas em um treino de musculação para obesos, são estas:

Foco em exercícios multiarticulares

Não que seu treino deva ser 100% com exercícios multiarticulares. Porém, pelo menos 60 a 70% do treino devem ser constituído por exercícios multiarticulares. Porquê teremos mais músculos e articulações envolvidas, neste caso, haverá um gasto calórico totalidade muito mais ressaltado.

Naturalmente leste não é o único ponto. Deve-se adequar todo o contexto, com as demais variáveis.

Volume totalidade e intervalos de folga equilibrados

É fundamental, justamente para aumentar o gasto calórico totalidade, que o treino de um obeso tenha um volume mais ressaltado e uma intensidade menor em termos de fardo. Ou seja, mais repetições e menos fardo. Para complementar, os intervalos de folga também precisam ser adequados.

No universal, para promover um aumento do gasto calórico totalidade e um desgaste bioenergético mais proeminente, usa-se intervalos mais curtos. Isso não é via de regra, mas principalmente nos primeiros meses de treino, é uma estratégia interessante.

Se provável, integre a musculação com aeróbico ao final da sessão

Esta também não é uma regra. Mas a literatura já mostra que mesclar em uma sessão, exercícios resistidos e aeróbicos, traz bons resultados para a redução de peso. No caso de uma pessoa com obesidade, porém, alguns ajustes devem ser feitos.

É preciso tomar desvelo com o controle motor (uma pessoa muito fadigada, terá dificuldades de fazer um manobra que exige mais da secção motriz) e também com o impacto.

Neste sentido, é muito importante escolher de forma adequada quais serão os exercícios e o volume totalidade a ser trabalhado.

A musculação para obesos é uma ótima aliada na redução do peso. Porém, é preciso que o treino seja adequado e equilibrado com as necessidades de cada pessoa. Treine sempre com a orientação de um bom profissional.

Bons treinos!

Referências:

Kraemer WJ, Volek JS, Clark KL, et al. Influência do treinamento físico nas alterações fisiológicas e de desempenho com a perda de peso em homens. Medicina e Ciência em Esportes e Exercícios . 1999 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10487375

Sullen, H O. The effect of 12 weeks of aerobic, resistance or combination exercise training on cardiovascular risk factors in the overweight and obese in a randomized trial. BMC Public Health. 2012.  https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3487794/


[ad_2]
Nascente Notícia -> :Fonte da Notícia -> Clique Aqui