Portal Santa Luzia Net - Pagina Inicial


Receba Nossas Noticias diretamente no seu email

Israel recupera arquivos de Kafka e encerra saga judicial



MENAHEM KAHANA

Stefan Litt, arquivista da Livraria Pátrio e conservador da coleção de ciências humanas, revela manuscritos do noticiarista Franz Kafka, em Jerusalém
MENAHEM KAHANA

A Livraria Pátrio de Israel revelou, nesta quarta-feira, os escritos que estavam faltando do plumitivo judeu theco Franz Kafka e encerrou mais de uma dez de uma saga judicial sobre sua propriedade.

Antes de sua morte em 1924, o responsável publicado por “O Processo”, romance emblemático sobre o labirinto do sistema judicial, e “A Mutação”, havia pedido a seu camarada Max Brod que destruísse todas as suas cartas e escritos.

Em 1939, Max Brod, que nasceu em Praga e era também judeu, abandonou a Tchecoslováquia ocupada pelos nazistas por Tel Aviv, com os papéis de Kafka em uma mala.

Brod publicou depois muitas obras e contribuiu para a glória póstuma de Kafka, uma das principais figuras literárias do século XX.

A morte de Brod em 1968 deu início a uma “história kafkaniana” em relação a esses arquivos, resumiu nesta quarta-feira a porta-voz da Livraria Pátrio de Israel, Vered Lion-Yerushalmi.

O tesouro foi dividido e uma secção foi roubada antes de ser colocada à venda na Alemanha. Desde março de 2018, a Livraria Pátrio se esforçou para reunir a coleção e mantê-la em Israel, disse seu presidente, David Blumberg, em uma entrevista coletiva.

“A Livraria Pátrio reivindicou a transferência dos arquivos porque era isso que Brod desejava em seu testamento”, disse ele. “Começamos um processo que durou 11 anos e que terminou há duas semanas”.

Em maio, depois a decisão de um tribunal germânico, Berlim entregou milhares de documentos e manuscritos que haviam sido roubados há dez anos em Tel Aviv para serem vendidos aos arquivos literários alemães de Marbach e colecionadores particulares.

Outras peças destes arquivos estavam na geladeira de um apartamento em ruínas em Tel Aviv, assim porquê em cofres bancários da cidade.

Um último esconderijo era um cofre localizado na sede principal do grande banco suíço UBS, em Zurique. Uma recente decisão da justiça suíça permitiu que a Livraria Pátrio de Israel acessasse levante último gavinha perdido para fechar a saga.

A maioria dos documentos recuperados já havia sido publicada por Brod, mas a correspondência entre os dois amigos e as demais notas, diários íntimos e reflexões de Kafka lançaram uma luz valiosa sobre a sua personalidade, estimou Stefan Litt, arquivista da livraria e conservador de sua coleção de ciências humanas.





Nascente Notícia -> :Fonte Notícia

Junte-se ao Nosso Canal No Telegram - -
Junte ao nosso canal no Telegram e participe de todas a publicações em primeira mão -- 1243325

Clique Aqui e Participe Já



Os artigos aqui publicados foram recolhidos pela internet com referência as suas devidas fontes no campo (Fonte) e tem sua responsablidade de seus criadores, caso você se sinta ofendido ou queira a remoção de alguma informação favor entrar em contato conosco aqui



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mude para versão para dispositivos móveis deste site