Empresas do setor de vinho, que podem ter sonegado R$ 10 milhões, são fim Minas Gerais

[ad_1]

Trinta e cinco empresas atacadistas que distribuem bebidas para supermercados, bares, restaurantes e lojas especializadas na venda de vinhos nacionais e importados são investigadas pela sonegação de muro de R$ 10 milhões.

Segundo a Receita Estadual, estas empresas, que estão em dez municípios de Minas Gerais, além do Rio de Janeiro, Goiás e Província Federalista, foram fim de uma operação de combate a irregularidades na comercialização de bebidas nesta terça-feira (11).

Empresas do ramo de bebidas são investigadas por sonegação de murado de R$ 10 milhões. — Foto: Divulgação/ Receita Estadual

Documentos foram apreendidos e arquivos de computadores foram copiados durante ação.

Ainda de pacto com a Receita, a investigação começou em seguida ser identificado que o recolhimento do ICMS era incompatível com o faturamento das empresas.

Em Minas, as empresas são de Belo Horizonte, Escrutínio, Novidade Lima, Santa Luzia, Vespasiano, São José da Lapa, Ribeirão das Neves, todas na Região Metropolitana de BH, em Fronteira, no Triângulo Mineiro, Paracatu, na região Noroeste do estado, e em Piumhí, na Região Meio-Oeste.

A operação de combate a irregularidades na comercialização de bebidas aconteceu nesta terça-feira (11). — Foto: Ricardo Soares/TV Mundo

O órgão vai investigar se existiam valores pagos nas operações de compra e venda para que as notas fiscais tivessem preço menor do que, de vestimenta, era pago pelas mercadorias. E se existiam outras formas para reduzir o valor do imposto.

As empresas serão cobradas pelo ICMS não pago e os operadores e sócios dos estabelecimentos fraudadores podem ter implicações penais pelos crimes cometidos. O caso será guiado para o Ministério Público de Minas Gerais.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia