Em dia de protesto em BH, motorista de app é roubado e leva injeção no pescoço

[ad_1]

Jovem de 24 anos foi deixado no porta-malas de seu coche por 16 horas e teve somente o celular levado

Um motorista de aplicativo de 24 anos passou por momentos de apuros entre a noite dessa segunda-feira (4) e a manhã desta terça (5) em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte – ele foi rendido por assaltantes durante uma corrida, levou uma injeção no pescoço e foi deixado no porta-malas de seu carruagem. Transgressão é desvelado no mesmo dia em que a categoria fez um protesto por mais segurança na capital.

Segundo o tenente Sobrinho, do 35º Batalhão da Polícia Militar, por volta das 10h uma guarnição do Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco (Gepar) fazia uma ronda pelo bairro São Cosme, na lema com Vespasiano, na mesma região, quando moradores acionaram os militares e disseram que havia um carruagem menosprezado em um lugar ermo.

Quando os policiais chegaram ao lugar, constataram um VolksWagen Voyage parado, no entanto, era provável ouvir algumas batidas vindas do porta-malas. Quando o mesmo foi desimpedido, a vítima foi encontrada dentro dele, visivelmente abatida e desidratada.

Em conversa com os militares, o jovem disse que por volta das 18h havia aceitado uma corrida no mesmo bairro. No momento em que ele chegou ao lugar, disse que foi rendido por dois homens de máscara e, um deles, aplicou uma injeção em seu pescoço, de quem líquido ele não sabe o que é.

Logo depois, ele ficou desacordado e deixado na secção de trás do coche. Segundo ele, somente o celular foi levado pelos criminosos.

A polícia socorreu o motorista e levou-o à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) São Benedito, em Santa Luzia, onde ele ficou sob cuidados médicos. A perícia, assim porquê as investigações, ficaram a função da Polícia Social – o coche foi levado para um recinto licenciado do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) em Vespasiano.

Não foi informado para qual aplicativo a vítima estava trabalhando no momento do transgressão. A reportagem de tentou entrar em contato com sua família, já que parentes o deram porquê perdido, porém, sem sucesso.

Protesto

Motoristas de aplicativo fizeram um protesto nesta manhã em Belo Horizonte pedindo mais segurança para a categoria. Principal motivo foi o caso de Anderson Coelho Alves, de 27 anos, que foi roubado e morto na última quinta-feira (31) enquanto trabalhava em Vespasiano.

Um outro caso que também assustou os colegas aconteceu no último domingo (3) em Sabará. Um varão de 51 anos foi assaltado e agredido por um jovem de 17 anos e um jovem de 18 – policiais apreenderam com eles duas réplicas de arma de queima e recuperaram numerário, veículo, celular e documentos pessoais do motorista.

A carreata saiu da rossio do Papa, na região Meio-Sul de Belo Horizonte, e seguiu até a Cidade Administrativa, no bairro Serra Verdejante, região Setentrião da capital. Os carros saíram com vidros pintados escrito luto e pedindo segurança e distinção. Uma prece também foi feita na rossio.

A capitão Layla Brunnela, porta-voz da Polícia Militar conversou com a reportagem de  e disse que a polícia lamenta muito a morte e todos os crimes com os motoristas de aplicativo. "A Polícia Militar vem desencadeando uma série de ações que culminaram no ano pretérito em comparativo a 2019 em uma redução de 26% nos roubos a veículos, que é o principal transgressão reclamado por esses motoristas. São feitas abordagens constantes aos motoristas de aplicativos, com operações constantes voltadas para eles", enfatiza.

Segurança dos aplicativos

Em nota, a Uber garantiu que prioriza a segurança dos colaboradores e disse que está sempre buscando, por meio da tecnologia, fazer da plataforma a mais segura provável. "Foi anunciada recentemente a introdução da checagem de documentos de usuários - alguma coisa inédito nas alternativas de mobilidade urbana", destacou. Com isso, usuários que optarem por remunerar a primeira viagem em moeda, sem fornecer dados do meio de pagamento do dedo (cartão de crédito ou débito), precisarão fornecer um documento de identidade, porquê RG ou CNH. 

Dentre outras medidas adotadas para moderar a violência, o app destacou o recurso de machine learning - instrumento que usa algoritmos e bloqueia passageiros considerados potencialmente mais arriscados, "a menos que o usuário forneça detalhes adicionais de identificação". Os motoristas ainda têm a opção de cancelar viagens caso não se sintam seguros.

Leia mais: Motorista de aplicativo é confundido com pedófilo em assalto e morto em SP

"Além dos recursos já mencionados para segurança do motorista antes mesmo dele pegar o usuário, hoje uma viagem pelo aplicativo já inclui outras ferramentas de segurança durante e depois de cada viagem, tanto para os usuários quanto para os motoristas parceiros", frisou a empresa.

O botão de segurança que é disponibilizado em todas as corridas, e reúne as funções de segurança da plataforma, também foi citado pelo app. "Assim, ao longo do trajeto, usuários e motoristas parceiros podem compartilhar a sua localização e de chegada em tempo real com quem desejarem. O recurso também oferece a opção de vincular para a polícia em situações de risco ou emergência diretamente do app", destacou.

A reportagem não conseguiu contato com a empresa 99. 


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia