Coronavírus: integrantes de projeto social distribuem feijoeiro Minas Gerais

[ad_1]

Durante a pandemia, com o isolamento social, tem sido mais difícil manter projetos sociais. Mas em Belo Horizonte e Região Metropolitana, uma iniciativa tem mantido a ajuda à população sem-teto e às pessoas com dificuldade financeira.

Os voluntários fazem esse trabalho há mais de dois anos. No sábado (18), a boa ação, em Santa Luzia, foi de distribuição de cestas básicas.

Tropeiro foi feito a várias mãos — Foto: Reprodução/TV GloboTropeiro foi feito a várias mãos — Foto: Reprodução/TV Globo

Tropeiro foi feito a várias mãos — Foto: Reprodução/TV Mundo

Já no domingo (19), os voluntários se reuniram na cozinha de um parceiro. Cada um trouxe um substância para preparar um prato tipicamente mineiro.

Couve picadinha, linguiça, ovo. E um feijoeiro tropeiro completo feito a várias mãos – devidamente higienizadas, evidente.

A Associação Paixão Que Não Se Mede tem muitos voluntários, mas com a quarentena o número de pessoas envolvidas diminuiu. Por outro lado, a miséria de quem não tem um teto aumentou porque muitos deles contavam com a ajuda de comerciantes. Com lojas fechadas e pouca gente circulando por ai, a situação pra eles apertou ainda mais.

Por isso o tropeiro prestes com carinho pelos voluntários fez muita diferença. A Rossio Rio Branco, no meio de Belo Horizonte, foi o lugar escolhido para preencher o estômago e o coração de quem passa dificuldade.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia