BH recebe medicamentos do kit intubação, mas situação ainda é sátira

[ad_1]

Entre os remédios estão 1.000 frascos de Cisatracúrio e 2.000 ampolas de Midazolam, que serão usados em pacientes internados nas UPAS e atendidos pelo SAMU

Belo Horizonte recebeu 1.000 frascos do bloqueador neuromuscular Cisatracúrio e 2.000 ampolas do sedativo Midazolam, nesta segunda-feira (19). Os medicamentos fazem secção do kit intubação, usados em casos graves de pacientes com Covid-19, internados em UTIs. De negócio com a Secretaria Municipal de Saúde, eles foram retirados do almoxarifado da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e serão usados nos pacientes internados nas UPAS e atendidos pelo SAMU.

“No momento, todas as unidades de urgência do município estão abastecidas. Mas, porquê o consumo quotidiano é muito cocuruto, o estoque de medicamentos na Rede SUS- BH ainda está em uma situação sátira”, disse.

Apesar da chegada da novidade remessa de insumos do kit intubação, a Secretaria Municipal de Saúde não informou por quantos dias essa quantidade de medicamentos será suficiente. Disse somente que monitora diariamente o estoque de sedativos e bloqueadores neuromusculares utilizados nos hospitais da rede SUS-BH, UPAs e SAMU.

Porém, a Prefeitura afirmou que a falta de medicamentos para intubação orotraqueal e demais insumos necessários ao atendimento de pacientes intubados, “compromete a disponibilidade de leitos hospitalares no município, podendo levar a impactos assistenciais importantes”, finaliza a nota.

No último sábado (17), Minas Gerais recebeu 133.215 unidades de Midazolam, Propofol e Besilato de Cisatracúrio, itens essenciais à sedação dos pacientes. A maior secção dos medicamentos foi enviada pelo Ministério da Saúde e 25 milénio unidades do sedativo Midazolam foram compradas pelo próprio Estado.

De congraçamento com a SES-MG, os medicamentos recebidos foram direcionados ao atendimento emergencial de 20 hospitais, em diferentes regiões do Estado, que se encontram em níveis considerados críticos, com estoques suficientes para três dias ou menos de cobertura. Exclusivamente duas instituições ainda não retiraram os medicamentos no almoxarifado da secretaria.

Entre as unidades de saúde contempladas está a Santa Mansão de Belo Horizonte, na capital, e na região metropolitana, a UPA Acrizio de Menezes, em Ribeirão das Neves; a UPA Prefeito Luiz Issa, em Vespasiano; o Hospital Público Professor Osvaldo Resende Franco e o Cecovid 4, em Betim; o Hospital e Maternidade Regional, em Ibirité, e o Hospital São João de Deus, em Santa Luzia.

Mesmo com a chegada destes insumos, a SES disse que o estoque de sedativos utilizados na intubação do paciente de Covid “encontra-se em nível não recomendável para o enfrentamento da pandemia”. Atualmente, segundo a pasta, todas as regiões do Estado se encontram em “situação sátira de fornecimento de qualquer item do kit intubação”.

 

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode encarregar. Continue nos apoiando. Assine .


[ad_2]
Nascente Notícia -> :Fonte Notícia