Senado aprova texto de projeto que amplia favor

[ad_1]
Jane de Araújo/Agência Senado Jane de Araújo/Dependência Senado

Mesmo antes de o presidente Jair Bolsonaro sancionar o auxílio emergencial de R$ 600 durante a pandemia do novo coronavírus, o Senado aprovou o texto-base de um projeto ampliando o alcance do favor a ser pago para trabalhadores informais, intermitentes e microempreendedores individuais (MEIs).

A novidade proposta, que ainda dependerá da Câmara, garante o pagamento para homens chefes de família e mães adolescentes. Na sequência, os senadores ainda vão votar uma diferença no texto. Uma emenda do líder do PT na Mansão, Rogério Roble (SE), aumenta para R$ 1.045 o auxílio emergencial, ou seja, garante o valor de um salário mínimo para o favor.

O texto revalidado permite o pagamento em duplo para homens e mulheres chefes de família (R$ 1,2 milénio) e não exclusivamente para mulheres, porquê na proposta aprovada anteriormente. A modificação pode custar R$ 13,9 bilhões, de concórdia com conta da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado. O texto já revalidado custará R$ 98 bilhões.

O Senado deixou evidente no novo texto a garantia do auxílio para uma série de categorias informais. No entendimento de técnicos do Senado, porém, a inclusão não tem efeitos relevantes porque o projeto legalizado anteriormente teoricamente já garantiria o pagamento para esses trabalhadores. Os senadores não querem, no entanto, deixar margem para o governo não remunerar determinados informais.


[ad_2]
Nascente Notícia -> :Fonte Notícia