Santa Luzia abre leitos de UTI para COVID-19, mas todos já estão ocupados

[ad_1]

Expectativa é que as obras do HSJD sejam concluídas dentro de aproximadamente um mês. O hospital contará com bloco cirúrgico, equipamentos de última geração e uma cartela de serviços variados para atender a população © Leandro Couri/EM/D.A Press - 27/6/16 Expectativa é que as obras do HSJD sejam concluídas dentro de aproximadamente um mês. O hospital contará com conjunto cirúrgico, equipamentos de última geração e uma cartela de serviços variados para atender a população Santa Luzia, na Região Metropolitana de BH, inaugurou no término de semana os primeiros 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da cidade. Todos, porém, já estão ocupados. Os 10 leitos de UTI foram inaugurados no Hospital São João de Deus. Agora, a instituição conta com 60 leitos, 50 deles clínicos, para tratamento individual de pacientes vítimas de COVID-19. Entretanto, o diretor-universal do HSJD, Celso Frederico, lamenta que, embora seja um marco importante na cidade, os 10 leitos já estejam ocupados. 

  Uma outra noticia preocupa as autoridades de saúde da cidade. Apesar de a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) ter inaugurado também 10 novos leitos de UTI, a taxa de ocupação nas unidades de terapia intensiva destinadas ao tratamento da COVID-19 atingiu seu maior índice. Santa Luzia faz secção da microrregião de saúde de BH, e encaminha pacientes para unidades da capital. 

Os leitos de UTI fazem secção do projecto de contingência da prefeitura da cidade na Grande BH para enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Segundo dados mais recentes de ocupação, 48% dos leitos de clínica médica também estão ocupados.

De pacto com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), nesta segunda-feira a cidade registra  391 casos de coronavírus e oito mortos.

“Em 327 anos de história, é a primeira vez que a população conta com esse serviço, demonstrando responsabilidade sanitária desse governo com sua população. Fazemos secção da região de saúde da microrregião Belo Horizonte, Novidade Lima e Caeté. Os hospitais de BH pertencem a essa rede regional da qual Santa Luzia faz secção”, disse a secretária municipal de Saúde, Nádia Cristina Tomé. Ou seja, antes de implantar os serviços, os pacientes seguiam o fluxo de transferência para BH.

Implementar esses leitos fortalece a capacidade de atendimento a pacientes que evoluem para a forma grave da COVID-19. “Uma vez que já foi divulgado que a rede de Belo Horizonte está esgotando sua capacidade de atendimento”, esclareceu Nádia. 

Novos leitos em Santa Luzia

Segundo a gestão municipal, a expectativa é de que sejam inaugurados outros leitos clínicos no Hospital São João de Deus. “Vamos batalhar para que em algumas semanas, terminando a reforma no segundo caminhar, possamos perfurar mais 20 leitos”, disse o prefeito Procurador Christiano Xavier por meio de nota publicada pela prefeitura nesta segunda-feira.

Outras estratégias estão sendo feitas para o enfrentamento à pandemia na cidade, porquê extensão do horário de atendimento de 18 unidades de saúde, fiscalização e conscientização em pontos de aglomeração de pessoas e alternância no funcionamento do negócio.

Ou por outra, a orientação ainda é de distanciamento social permanece. “Reforçamos o pedido para que as pessoas fiquem em mansão, porque sabemos que rede nenhuma de assistência é suficiente para dar conta de uma pandemia porquê a da COVID-19 vem se apresentando. Logo quem puder, fique em lar”, disse Xavier.  “Santa Luzia republicou o decreto de novas medidas de prevenção do contágio mais restritivas de distanciamento. Mas, É necessário que a população tenha consciência da seriedade da situação e respeite as orientações sanitárias”, finalizou.

 A capital mineira registrou nesse domingo (5) a maior taxa de ocupação de leitos de Unidades de Tratamento Intenso (UTI) na cidade desde o início da pandemia pelo novo coronavírus. De concórdia com a Secretaria Municipal de Saúde, 91% dos leitos para pacientes da COVID-19 estão coupados.

“A questão da premência de leitos de UTI preocupa a todos os gestores da região metropolitana”, disse a secretária de Santa Luzia. A capital mineira conta com 1.020 leitos totais. Desses, 85% estão ocupados. O quadro é classificado na zona vermelha, a de maior risco de colapso do sistema de saúde.

 

[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia