Restaurada, pea revela novos traos – Gerais

[ad_1]
Com financiamento coletivo, capela S
Com financiamento coletivo, capela So Jernimo entrega altar renovado comunidade de Santa Luzia (foto: MARCOS IKEDA/ESP. EM)

Dois anos de trabalho, longas horas dirias de dedicao ao patrimnio, valorizao da arte barroca em tempo integral. A Associao Cultural Comunitria de Santa Luzia, na Regio Metropolitana de Belo Horizonte, entrega hoje, durante missa celebrada s 19h pelo padre Felipe Lemos Queirs, a obra concluda de restaurao do altar da capela do Instituto So Jernimo, no Meio Histrico da cidade. A interveno ocorreu graas a financiamento coletivo, "com doaes de diversas pessoas que se comprometeram a colaborar na recuperao de uma das peas mais singelas do montão cultural da cidade", diz o presidente da associao, Adalberto Andrade Mateus.

 

(foto: MARCOS IKEDA/ESP. EM)
(foto: MARCOS IKEDA/ESP. EM)
 

 

O Estado de Minas acompanha o servio de restaurao da pea do incio do sculo 19, que ganhou destaque em reportagem publicada em 10 de setembro de 2018. “Esse retbulo nunca teve seus elementos artsticos recuperados. Com a restaurao, podemos apreciar novamente as cores originais e detalhes que decoram todas as partes internas dos nichos”, revela a presidente da Associao de Proteo Infncia e Assistncia Social de Santa Luzia, Elizabete de Almeida Teixeira Tfani, que trabalhou na obra ao lado de voluntrios. O projeto de restaurao contou com a coordenao tcnica da restauradora Denise Camilo e teve aprovao, em 2018, do Instituto Estadual do Patrimnio Histrico e Artstico de Minas Gerais (Iepha).

 

A entrega da obra, no dia de So Jernimo Emiliano, ocorre em momento significativo, destaca Adalberto Mateus: “A comunidade de Santa Luzia deve receb-la com exalo, pois, com a bno do retbulo, celebramos os 329 anos da cidade (primeiro ncleo populacional) e os 80 anos do Instituto So Jernimo”. Ele acrescenta que o projeto foi integralmente executado com a doao de recursos pela comunidade e o trabalho de voluntrios. “Trata-se de uma conquista que demonstra compromisso com nosso patrimnio cultural.”

DESCOBERTAS A restaurao do retbulo, orada em murado de R$ 20 milénio, revelou cores e detalhes escondidos h mais de 80 anos. A pea sacra pertenceu, no sculo 19, antiga Quinta das Lages, propriedade dos bares de Santa Luzia, Manoel Ribeiro Vianna e Maria Alexandrina de Almeida Ribeiro Vianna. “A capela era dedicada a Nossa Senhora do Rosrio, razo pela qual podemos perceber as rosas de malabar que decoram todo o retbulo”, conta Elizabete sobre a trajetria da pea sacra. “Com a fundao do asilo (para crianas) pela benemrita Maria do Carmo Moreira (1898-1989), a dona Mariinha, o retbulo foi trazido na dcada de 1940 para o Meio da cidade, sendo a pea principal da capela construda a partir de projeto do arquiteto modernista Raphael Hardy Fruto (1917-2005).”

 

De negócio com o Iepha, o retbulo tem o estilo dom Joo V, sendo uma verso simplificada dos grandes exemplares representativos do rococ. Alm das rosas, podem ser novamente admiradas duas rocalhas, muito presentes na decorao desse estilo artstico. Um dos destaques da restaurao est no douramento original, perdido com o passar dos anos, e renovado a partir da aplicao de centenas de folhas de ouro adquiridas com a doao dos amigos da Associao Cultural Comunitria.

 

J a imaginria da capela, em gesso, foi recuperada a partir de doaes ao Santurio de Santa Luzia, em campanha coordenada pelo titular da parquia, padre Felipe Lemos de Queirs.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia