Preços de hortifrútis sobem até 140% em Belo Horizonte devido às chuvas

[ad_1]

Com danos das chuvas nas lavouras, frutas, legumes e verduras perdem qualidade e ficam mais caros. Para especialistas, valores só devem iniciar a desabar a partir do de abril

Devido às fortes chuvas que atingem a região metropolitana de Belo Horizonte, os preços dos hortifrútis em sacolões na capital subiram até 140,8% no último mês, porquê é o caso do quilo do tomate, que avançou de R$ 2,52 em dezembro de 2019, a R$ 6,02 no mês pretérito. 

No universal, o aumento médio de legumes, verduras e frutas foi de 17%, segundo levantamento site Mercado Mineiro divulgado nessa segunda-feira (3). 

Além de mais caros, os produtos perderam qualidade por culpa de danos causados nas lavouras pelas tempestades.

Especialistas estimam que os hortifrúti só ficarão mais baratos a partir de abril, isso, se o nível das chuvas não piorar.

“Quem vem todo dia está se assustando com os preços e a falta de alguns produtos. Para nós, também é difícil”, conta Natália Roque, responsável por um sacolão no bairro Eldorado, em Relato.

Segundo Daniel Ferreira Pedra, possessor de um sacolão, porquê eles estão comprando mais custoso, é impossível não repassar.

“Aumentamos, mas está praticamente no valor do dispêndio”, garante. 

Com a subida nos preços, os consumidores reclamam. “Antes da chuva os preços estavam bons, às vezes eu levava até um quilo de tome, hoje comprei somente dois”, relata o facilitar de serviços gerais Edson Gonçalves Lima. 

Ergástulo produtiva

Os aumentos ocorrem por pretexto de complicações em toda a ergástulo produtiva. No campo, grande secção da produção foi perdida ou danificada. 

Na distribuição, problemas com transporte das mercadorias, que vão desde caminhões ilhados, até lentidão no deslocamento, encarecem o serviço. 

“O valor aumenta na produção, depois para quem está vendendo, que acumula dispêndio logístico. Se a chuva for intensa e novamente atrapalhar o plantio, a tendência é de que os preços subam mais e de que a equalização do mercado demore”, detalha o crítico de agronegócio da Federação da Cultivação e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Caio Coimbra. 

O coordenador do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu explica que, além dos aumentos, é importante permanecer de olho na variação de preço entre sacolões, que chegam até 500% em um mesmo resultado. 

“A dica é repensar as compras, esperar os valores estabilizarem e pesquisar bastante preços nos estabelecimentos”, afirma Abreu.

Até caçamba tem inflação

Contratar uma caçamba para retirada de entulho por três dias úteis custa, em média, R$ 177,50 em Belo Horizonte, com dispêndio extra de R$ 22,50 por diária suplementar. 

Com o aumento da demanda por motivo das chuvas, o preço está 5,39% maior em relação a fevereiro do ano pretérito, segundo o site Mercado Mineiro. 

A variação de preço para o mesmo serviço é de 78% na capital. O menor valor encontrado foi de R$ 140, e o maior de R$ 250. 

De olho

O Procon do Ministério Público (MPMG) recomenda a autuação de quem praticar aumento imperdoável em itens de premência básica, porquê chuva e comida. 


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia