Mãe cria vaquinha virtual para receber murado de R$ 15 milénio, para ajudar filha com doença muscular rara, em Santa Luzia

[ad_1]
Imagem: Seguidores/Noticiando Santa Luzia

Uma mãe moradora do bairro Asteca, em Santa Luzia, criou uma vaquinha virtual, para receber o valor de R$ 15 milénio, com o objetivo de custear o tratamento da filha de 7 anos, que desenvolveu um quadro de Miastenia Grave, que desculpa fraqueza nos músculos. No caso da gaiato, a doença está afetando a face.

Em entrevista para o nosso jornalismo, Alice Fagundes, de 27 anos, mãe da pequena Júlia Fagundes, relatou porquê a doença foi invenção e as dificuldades que a família enfrenta desde o diagnóstico.

A doença foi invenção em 2022, quando Alice estava passando por uma gravidez de risco. Na mesma era, Júlia, a filha mais velha, começou a apresentar sintomas em um dos olhos. A pequena não conseguia abri-lo.

A família acreditou, inicialmente, ser conjuntivite, já que depois alguns dias os sintomas passaram.

Porém, já no término da gravidez, os sintomas voltaram. Por isso, Alice decidiu levar a filha em um oftalmologista e para a surpresa dela e do marido, tiveram um encaminhamento e a certeza de que o problema de Júlia era mais multíplice do que um simples quadro de conjuntivite.

Depois procuraram por diversos médicos, inclusive em hospitais porquê a Santa Morada e não conseguirem o atendimento para Júlia, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A família decidiu fabricar a vaquinha para, ao menos, desenredar qual era a doença que estavam enfrentando.

Imagem: Seguidores/Noticiando Santa Luzia

Com os primeiros valores arrecadados, conseguiram remunerar exames e consultas particulares.

Logo tiveram o diagnóstico, Júlia estava com um quadro de Miastenia Grave, que é uma doença autoimune em que a informação entre os nervos e os músculos é afetada, produzindo episódios de fraqueza muscular. Ou seja, ela não estava conseguindo furar o olho porque os próprios músculos faciais não estavam desempenhando seu papel.

Desde logo, a luta de Alice para conseguir tratar a filha começou, a mãe teve que se destinar inteiramente para cuidar da bebê e dos tratamentos da filha mais velha.

Ela e o marido, que não possuem uma rede de esteio começaram a receber os fundos através das doações da vaquinha virtual, que atualmente é uma das fontes para que o tratamento seja, de veste, terminado.

Imagem: Seguidores/Noticiando Santa Luzia

Até o presente momento, a pequena ainda não conseguiu nenhuma consulta ou examinação pelo SUS, o que faz com que os pais da petiz corram contra , já que, a doença afeta tanto a visão, traz dores fortes tanto de cabeça, quanto na poste, já que é uma doença que pode se espalhar com .

Pensando nisso, a família decidiu prosseguir com a vaquinha virtual, na esperança de poder tratá-la da melhor forma provável.

Para isso, estão contando com as doações, com o intuito de recepcionar murado de R$ 15 milénio, que corresponde a todos os gastos do tratamento. Até a publicação dessa reportagem, ela já conseguiu receptar o valor de R$ 3.943,89.

Para acessar a vaquinha e fazer sua doação através do PIX ou até de um cartão de crédito, basta (CLICAR AQUI). As doações também podem ser feitas pela chave PIX: [email protected], que foi criada mormente para ajudar Júlia.


[ad_2]
Manadeira Notícia -> :Fonte Notícia