Filhos da Pátria: Reviravoltas, passagem de tempo e a chegada do Estado Novo – Bastidores

[ad_1]

Alexandre Nero em cena da série da Mundo.

Foto: Ellen Soares/Globo

Puro ou culpado, nem importa mais. Geraldo Bulhosa (Alexandre Nero) é a esfera da vez no Palácio do Catete e vai ter que assumir as falcatruas do misterioso — já não tão misterioso assim — Ministro ao longo dos dez episódios de ‘Filhos da Pátria’. Ele faz isso para amenizar sua pena diante de seu julgamento. A segunda temporada da série, escrita e criada por Bruno Mazzeo, chega ao término nesta terça-feira, dia 10, com uma reviravolta na vida dos Bulhosa. Uma família zero perfeita, mas muito unida.

Geraldo até tenta não se intimidar com as ameaças de Pacheco (Matheus Nachtergaele) mas, na disputa de poder, o patrão vence. Culpado de meandro de quantia público, o patriarca dos Bulhosa e Maria Teresa (Fernanda Torres) viram personas non gratas por todo o Rio de Janeiro. Mesmo afugentando as pessoas, ela, não entende. Acha, na verdade, que uma esposa de deputado sempre impõe reverência. Enquanto ela acredita ser porquê Moisés, “que abre o Mar Vermelho”, Geraldo alerta que o melhor é serem porquê Noé: “reunindo a família e enfrentando a tempestade”. E eles nem imaginam o dilúvio que vão enfrentar.

Geraldinho (Johnny Massaro) deixa o Integralismo e vai gerar seu próprio movimento: o Indignalismo. Para fazer secção, ele define que “basta não concordar com zero”. No jornal, Catarina (Lara Tremouroux) argumenta que é preciso ter cautela nas acusações ao reportar as notícias, mas seu editor, Gorgulho (Marcio Vito), só acredita na versão dada pelo Governo, para desespero da moça. Já Maria Teresa recebe uma missão de Geraldo: se livrar do moeda da mala que está na moradia da família. E ela faz isso. A seu modo. Lucélia (Jessica Ellen) ao tentar renovar sua matrícula no curso para professora, tem uma repugnante surpresa. Mas ela não deixará de lado sua vocação e vai dar um jeito de repassar seu conhecimento para as pessoas.

passa e eles chegam a 1937. Muitas mudanças no estilo de vida de cada um. Nas ruas, Getúlio decreta Estado Novo.

As cenas estão previstas para irem ao ar no último incidente da segunda temporada de ‘Filhos da Pátria’, no dia 10 de dezembro. A série é escrita e criada por Bruno Mazzeo, com direção artística de Felipe Joffily e direção universal de Henrique Sauer. O décimo capítulo será exibido em seguida ‘Segunda Chamada”.


[ad_2]
Manancial Notícia -> :Fonte Notícia